Serviços de babá: já dá para levar as crianças na pracinha perto de casa?

Os grandes parques estão autorizados a abrir em São Paulo, mas mesmo com as restrições de funcionamento muitos pais ainda têm receio de levar as crianças a lugares como o Parque do Ibirapuera, Buenos Aires ou da Água Branca. E eles têm razão para se preocupar, pois apesar de operarem com público reduzido esses lugares favorecem aglomerações, que ajudam na propagação do Coronavírus. Entre os serviços de babá, uma de suas atribuições pode ser passear com os pequenos. Nesse caso, as pracinhas de bairro são uma alternativa de atividades para crianças ao ar livre e em contato com a natureza.


E por que falamos nas pracinhas? Primeiro, quem está acostumada a oferecer serviços de babá sabe que nem sempre é possível manter as crianças 24 horas por dia dentro de casa. Em segundo lugar, as pracinhas são menos concorridas do que os grandes parques, com espaços onde é mais fácil controlar a movimentação das crianças. Claro que se a pracinha estiver muito cheia o mais recomendado é que a babá mude a atividade para as crianças e retorne em outro horário.

Por mais que parques e pracinhas estejam autorizados a abrir, a babá vai precisar ficar atenta o tempo inteiro para ver se as crianças estão cumprindo adequadamente o distanciamento social – aquele espaço mínimo de um metro e meio em relação a outras pessoas. Com a epidemia, a atenção a isso passou a fazer parte dos serviços de babá.


No mais, um passeio na pracinha envolve uma série de cuidados. Desde levar um pote de álcool gel na bolsa até a escolha do lanchinho ideal, se as crianças precisarem consumi-lo no intervalo entre as brincadeiras. Sobre a questão do lanche vamos falar mais adiante, com o objetivo de ajudar você a oferecer os melhores serviços de babá. Confira as dicas antes de sair de casa, mantendo a segurança nas atividades para crianças. Toda saída deve ser feita sempre de máscara:


1 – Evite os brinquedos do parquinho


Há pracinhas que estão mantendo seus brinquedos lacrados. E mesmo que estejam disponíveis para uso é melhor deixar balanço, escorregador, entre outros de lado por uns tempos. O simples toque de uma pessoa que tenha entrado em contato com o vírus pode ser suficiente para contaminar as superfícies de madeira ou metal dos brinquedos. A profissional que oferece serviços de babá deve ter em mente algo importante: a pracinha deve funcionar mais como uma área aberta para brincadeiras do que um local para uso dos brinquedos. 2 – Pode levar brinquedos de casa

Bola, skate, patins, patinete...tudo isso você pode levar para a pracinha, contanto que na volta os brinquedos sejam desinfectados. Se quiser levar, prefira os de plástico, que são mais fáceis de limpar. Mantenha em casa ursinhos de pelúcia, bonecos de tecido e outros materiais difíceis de higienizar. 3 – Fique longe da turma do exercício


Escolha um lugar distante do pessoal que faz exercício na pracinha. Na corrida, por exemplo, liberamos mais fluídos corporais pelo suor e pela boca. O movimento também impulsiona o movimento das partículas pelos ares. Tanto que a distância recomendada por especialistas em relação a quem faz exercícios é de pelo menos 20 a 30 metros. Ou seja, muito maior do que o distanciamento médio em situações normais, a partir de um metro e meio.


4 – Evite as brincadeiras com as outras crianças

Você nunca sabe se as outras famílias estão adotando um comportamento seguro em relação às crianças. Portanto, o melhor a fazer é não colocar as crianças para brincarem juntas nesse período. Evite inclusive que a criança toque nos animais de estimação de outras pessoas.